☆O PSDB E O VÁCUO DE REPRESENTATIVIDADE PARA A CLASSE MEDIA☆

☆O PSDB E O VÁCUO DE REPRESENTATIVIDADE PARA A CLASSE MEDIA☆

No mundo fictício do PT convencionou-se considerar a classe média como vilã no inexorável processo de conversão do país num paraíso socialista . Haveria de ser essa massa de pagadores de impostos o inimigo a ser derrubado – pecadores que são pelo insolente ato de votar no partido de oposição nas eleições majoritárias.

Haveria de parecer natural que tal segmento da sociedade encontrasse guarida naquele que é, justamente, o maior beneficiário de seu sufrágio, o Partido da Social Democracia Brasileira. Responsável pelos avanços institucionais e pela estabilidade macroeconômica dos últimos 20 anos, tal partido fixou no imaginário político nacional uma aura de tecnocracia à brasileira, inspirando o voto seguro na continuidade do estado democrático de direito. Para o observador desavisado, juntamos a fome com a vontade de comer: O PSDB atenderia as pautas e demandas desta classe média e faria autêntica oposição ao bolivarianismo tupiniquim do partido dos trabalhadores.

A lógica, porém, é um artigo raro em Pindorama. Formado por uma confusa massa de antigos membros do PCB, intelectuais marxistas, economistas ortodoxos e caciques regionais herdados do velho MDB, o PSDB é incapaz de assumir de forma plena seu potencial papel de representante eleitoralmente viável de liberais e conservadores brasileiros. Faz ouvidos de surdo para questões caras aos mesmos, como a maioridade penal, a redução da carga tributária , o caos dos serviços públicos e o sufocante peso estatal sobre os ombros do indivíduo. Mais: vive numa eterna crise de consciência diante do inevitável conflito com sua contraparte vermelha, sendo incapaz de uma atuação verdadeiramente contundente que represente os anseios de seus eleitores.

Essa massa que lhe entregou sucessivamente seu voto e confiança ao longo das últimas duas décadas, porém, parece ter acordado. Deixada sem voz e vez após a derrota eleitoral de José Serra, em 2010, organizou-se na internet de forma espontânea. Combateu, ao longo dos últimos 4 anos, cada passo totalitário dado pelo governo federal. Retroalimentou-se do ressurgimento de Think-tanks conservadores e liberais país afora, bem como da coragem de novos jornalistas e escritores que atuaram como porta vozes de sua indignação. A classe média, silenciosamente, desmontou a rede bilionária de mentiras propagandeadas pelo PT. Não existe mais falácia estatal que não encontre réplica instantânea nas redes sociais. É um fato inédito, que altera a própria estratégia política governista: ataca-se mais os indivíduos livres, páginas de facebook e jornalistas independentes – não esquecendo da quase metafísica “mídia golpista” – do que os próprios opositores institucionais.
Arriscamos dizer que o pleito de 2014 será o último em que o PSDB terá o voto desta classe média sem apresentar nada em troca. Aécio Neves poderá até sagrar-se vencedor ao final do processo eleitoral, mas o desinteresse histórico do partido pelas demandas deste segmento cobrará seu preço. A classe média, cada vez mais organizada, haverá de se fazer representada por algo novo e verdadeiro, que não tenha vergonha de erguer suas bandeiras pelos 4 cantos do país . Iniciativas como o Líber, o Novo e o conservadorismo liberal deste surpreendente PSC estão aí para atestar tal movimento. E deste momento em diante, não haverá um tucano sequer que não lembrará com saudosismo dos bons tempos em que olhava de soslaio, com ar de superioridade, para a antiga namorada que ousaram desprezar.

Anúncios

1 comentário

  1. A maioridade penal, a redução da carga tributária, o caos dos serviços públicos e o sufocante peso estatal sobre os ombros do indivíduo: Todos estes assuntos são muito importantes, mas secundários, comparados aos eternos privilégios ilegítimos femininos em detrimento dos homens e meninos. O bem-estar, os recursos, a saúde, a segurança, a autonomia, a reputação e a liberdade de milhões de homens e meninos estão sendo desdenhados e destruídos por causa do avanço do feminismo, mas infelizmente, conservadores, socialistas, liberais/libertários etc., não dão a devida atenção a isso, e preferem discutir quaisquer outros assuntos que não esse. O que só mostra quanto o ginocentrismo sempre esteve completamente enraizado em nossa sociedade. O feminismo é suprapartidário, e tem apoio de todo o espectro político. É este tumor que precisamos combater primeiramente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s